Vai um analgésico aí?

Entre os países emergentes, sovaldi o Brasil é líder de consumo e o sexto mercado mundial desses medicamentos.

Recentemente, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças – CDC, órgão do governo americano, divulgou os resultados de um levantamento que avaliou o consumo de analgésicos no país. As conclusões são alarmantes: de 1990 a 2008 o número de mortes causado por overdose desses medicamentos triplicou. Somente no ano passado, os EUA registraram quase 15 mil óbitos causados por esse motivo.

Essas informações servem para reforçar a preocupação das autoridades mundiais de saúde, cada vez mais preocupadas com o aumento do consumo dos remédios para aliviar a dor.  Os dados mercadológicos, pelo menos, mostram isso.

Segundo a consultoria internacional IMS Health, de 2006 a 2010 houve um crescimento global de 27% no setor. Por aqui, o segmento movimentou US$ 902 milhões ano passado, fazendo o Brasil líder de consumo entre as nações emergentes e o sexto mercado do mundo, à frente de países como Espanha e do Japão, por exemplo.

Tipos diferentes

Antes de avançar no assunto, é importante esclarecer que existem vários tipos de analgésico: os comuns, comprados sem receita médica, são classificados como não-narcóticos; os anti-inflamatórios de efeito analgésico, que também são vendidos sem muito controle; e os narcóticos, medicamentos que usam derivados do ópio em sua formulação e exigem prescrição médica.

São esses últimos os responsáveis pelas mortes relatadas no estudo do CDC. Nos EUA, aliás, o consumo de opioides é altíssimo. Já no Brasil, o consumo maior é de analgésicos comuns e de anti-inflamatórios com efeito analgésico.

Narcóticos ou não, o uso exagerado de analgésicos é um dos maiores desafios da medicina atual.

Na dose certa, elas aliviam a dor, mas o excesso pode representar muitas ameaças à saúde. No Brasil, uma das categorias mais usadas incorretamente é a dos remédios contra dor de cabeça. Normalmente vendidos sem receita médica, muita gente desconhece que o consumo indiscriminado deles pode levar a um problema chamado cefaleia de rebote, a dor de cabeça causada por ingestão indiscriminada de remédios.

Pior é que os efeitos do exagero não param por aí e podem levar ao sangramento gastrointestinal e lesionar os rins – de maneira geral, os mesmos danos provocados por todos os outros tipos de analgésico, quando consumidos incorretamente.

Há outros efeitos colaterais que também não podem ser desconsiderados: complicações hepáticas, aumento no risco de surdez depois dos 60 anos , alteração na formação das células sanguíneas e, segundo um estudo recente feito na Escócia, lesões graves no fígado.

 

Fonte – Revista Istoé, edição 2194, 25/11/2011, (Editora Globo)

As camisetas e luvas Invel proporcionam alívio para dores crônicas sem uso de medicamentos, clique aqui para saber mais

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Gil disse:

    Parabéns pela reportagem.

    Eu gostaria de saber o que seriam exatamente os medicamentos não narcóticos.
    E a questão da cefaleia de rebote, isto pode ocorrer mesmo consumindo medicamento anti inflamatório para dor nas costas?

  2. Gil disse:

    Gostaria de saber onde exatamente eu encontro resposta no site.

    • TAD disse:

      Olá Gil!
      No site da Sociedade Brasileira de Cefaléia é possível encontrar mais informações sobre a doença e o uso excessivo dos medicamentos. Caso o texto a seguir não tire todas as suas dúvidas, o portal disponibiliza um fórum onde leigos e médicos podem dialogar:

  3. Gisele disse:

    Olá. Desde setembro eu tomo 01 dorflex por dia. O que eu faço pra sair dessa. qndo nao tomo fico com dor de cabeça.

    • admin disse:

      Recomendo que vá ao médico e evite a auto-medicação pois, isto pode lhe trazer problemas graves. Procure sempre a orientação de um especialista.

  4. Cirlei Silva disse:

    Fiz 5troquei anos tratamento para tendinite e no fim de tantas fisioterapias e infiltração troquei de médico e ele pediu para fazer ultrassom em outra cidade e ele disse que já fazia muito tempo que os três tendões do mangito rotativo ja estavam rompidos já havia muito tempo e não tinha mais jeito .Agora na noite de carnaval acordei com uma dor intensa o que devo fazer pois agora é recente.B2

    • admin disse:

      Cirlei
      Somente um médico poderá orientá-la adequadamente. Sem um exame pessoal seria irresponsável sugerirmos qualquer conduta. Como tratamento coadjuvante para o alívio de dores desse gênero, você pode tentar o uso de roupas terapêuticas que melhoram a circulação sanguínea e são inclusive indicadas por médicos. Após consultar um médico, visite o http://loja.invel.com.br/. Agradecemos por visitar nosso site e lhe desejamos boa sorte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign