O perigo de não sentir dor

A ausência total da sensação dolorosa é uma séria ameaça à integridade física

Seria ótimo se não sentíssemos dor, and certo? Errado! Como a dor é um mecanismo de defesa que alerta para ameaças reais ou potenciais a nossa integridade física, não ser capaz de sentir dor é estar desprotegido. A insensibilidade congênita à dor ou simplesmente analgesia congênita é uma condição rara que atinge homens e mulheres em igual proporção. “Grosso modo, isso acontece quando a pessoa tem alguma alteração ou não possui as estruturas nervosas que fazem a captação dos estímulos e os levam até o cérebro para que sejam interpretados como dor”, diz o neurologista Acary Souza Bulle Oliveira da Escola Paulista de Medicina de Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Segundo ele, pessoas assim podem, por exemplo, ter lesões de córnea ocasionadas por um cisco que não foi removido a tempo ou desenvolver uma peritonite por não se darem conta de que têm uma apendicite. Existem dois tipos de insensibilidade congênita à dor: em um deles, a pessoa não percebe a dor e não pode descrever sua intensidade ou tipo; no outro, existe a percepção da dor, mas não há uma resposta adequada, ou seja, a pessoa não reage nem recua quando exposta ao agente que causa a dor. “Como em tudo na vida, no caso da dor, também vale o meio termo, o equilíbrio”, finaliza o neurologista.

Dr. Acary Souza Bulle Oliveira 
Graduação em Medicina – UNIFESP
Especialização em Residência Médica em Neurologia – UNIFESP
Mestrado em Neurologia / Neurociências – UNIFESP
Doutorado em Neurologia / Neurociências – UNIFESP
Pós-Doutorado em Medicina – Columbia University

Entrevista exclusiva para o Portal Tecnologia para o Alivio da Dor

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign