A Luta Contra a Dor de Cabeça

Dela ninguém gosta, tadalafil mas a dor é importante. É o alerta do corpo.

Dor, cada um tem a sua. Os médicos tentaram classificar e acharam mais de 200 tipos só de dor de cabeça. Em alguns casos, ela aparece como uma pontada que atravessa o cérebro. Em outros, no rx ela vem ondas – são pulsações. Tem gente que enxerga até luzes, clarões inexplicáveis. E, para alguns pobres azarados, é tudo isso junto, ao mesmo tempo. E a vida mergulha numa fábrica de sofrimentos.

Diolino Rodrigues, 55, é comerciante e sente dores de cabeça há 20 anos. Ele leva uma coleção de exames ao centro de dor de um hospital paulistano.Num ambulatório superespecializado, o pequeno empresário tenta mais uma vez. Quem sabe, agora, os médicos vão acertar.

“O senhor está sentido exatamente o que agora?”, pergunta o médico. “Estou sentindo uma dor que vai da parte frontal da cabeça para o lado direito como um todo, até a região do pescoço e do ombro”, descreve o paciente. “Se eu pudesse atribuir uma nota a essa dor, de 0 a 10, daria 8”, diz seu Diolino.

“É uma dor pulsante. A dor é tamanha que me embrulha o estômago, dá náusea. Se eu não achar um remédio, fico desesperado. Dentro de casa, isso interfere”, conta seu Diolino, emocionado.

A agonia não dá trégua a esse homem. Até hoje os médicos não conseguiram diagnosticar a sombra invisível que o persegue. Mas no hospital a dor é desmascarada por uma termografia infravermelha. Uma câmera adaptada para enxergar ondas de calor registra as mudanças de temperatura provocadas pela dor de cabeça.

“Estamos vendo uma alteração na região da sobrancelha direita e no nariz também”, anuncia o médico.

A imagem infravermelha revela problemas na região cervical de Diolino, principalmente no lado direito do pescoço.

“Vemos que a origem da dor realmente é cervical. Tem uma outra lesão presente, da qual ele não se queixa muito, no ombro esquerdo. Quando apalpamos, ele sente dor neste local”, diz o médico Marcos Brioschi, especialista em infravermelho.

“Existe dor de cabeça irradiada por várias causas. O interessante no caso dele é que você desencadeia a dor apertando pontos. Há gatilhos na região cervical que se refletem na região frontal e no olho, bem longe da área estimulada. Isso é uma coisa muito típica da cefaléia cervicogênica”, avalia o neurologista Antônio Cezar Galvão.

Diolino sempre achou que tinha enxaqueca.

Dor de cabeça confunde mesmo. Daí a importância do diagnóstico correto.

Mas não é garantia de cura. Agora ele vai passar por um longo programa de reabilitação muscular. Mas até para agüentar os exercícios, a fisiatra precisa aplicar anestesia direto no músculo. O alívio da dor é temporário, mas basta para mostrar o sorriso que a dor esconde há 20 anos.

“A dor passou”, comemora seu Diolino. “Da minha parte, pretendo colaborar totalmente. Afinal de contas, é em mim que dói”, completa.

Por enquanto, é só uma anestesia. Mas seu Diolino começa a recuperar a confiança nos médicos.

Fonte: Globo Reporter

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign