Dossiê alívio imediato

A medicina oferece uma variedade de soluções que dão um basta a tormentos antes infindáveis. Das mais modernas invenções até pequenas mudanças no cotidiano, pilule SAÚDE descortina esse universo de boas-novas

Pressão arterial, respiração, temperatura e batimentos cardíacos — medidos assim que o paciente chega ao ambulatório, os sinais vitais revelam quanto o organismo está comprometido. Mas outro fator importante para traçar qualquer diagnóstico, segundo a Organização Mundial da Saúde, search é a dor. “Ela ajuda a acusar um problema ou, no mínimo, sua gravidade”, reforça Osvaldo Nascimento, neurologista da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro.

Na contramão, sabe-se hoje que essa sensação desagradável é um transtorno em si. A dor arrasa o bem-estar e, cheap se não tratada, pode perdurar até depois de a agressão ter sido resolvida. “É inaceitável, com o que a medicina agora disponibiliza, conviver com dores sem fazer nada”, arremata o neurologista Manoel Jacobsen, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Ao longo desta reportagem, veja o que está ao seu alcance para viver livre de desconfortos doloridos.

Pequenas práticas que fazem toda a diferença

Uma ou outra correção no cotidiano pode ser o que faltava para se ver livre do chabu

  • Dê folga aos olhos e ouvidos

A poluição visual ou a sonora influenciam a pressão intracraniana, favorecendo dores de cabeça. A cada hora de frente para a televisão ou para o computador, recomenda-se um pequeno intervalo.

  • Fique de olho na circulação

Se o sangue não chega facilmente, faltam nutrientes para manter uma região qualquer funcionando. E esse desequilíbrio pode ser bem dolorido. Medir a pressão e consultar o médico dá conta do recado.

  • Cuide da postura

Isso vale especialmente para quem sente as costas reclamarem frequentemente. Há especialistas, como os fisioterapeutas, que podem ajudar. Mas, de maneira geral, evite entortar a coluna por muito tempo.

  • Visite o dentista

Além das cáries, que provocam sensações nada prazerosas, o ranger incessante dos dentes, conhecido como bruxismo, faz a cabeça latejar. Um odontologista diagnostica e trata o problema com facilidade.

  • Exercite-se bem equipado

No futebol, uma caneleira protege contra zagueiros brutos. Já os óculos de natação criam uma barreira entre os olhos e o cloro da piscina. Não se esqueça de ir atrás dos acessórios necessários à modalidade escolhida.

  • Escolha calçados com cautela

É complicado para muitas mulheres nunca usarem salto alto. Ou para qualquer um não calçar os chinelos na praia. Mas, no dia a dia, prefira sapatos confortáveis e que não alterem o movimento da pisada.

Roupas antidor

A empresa Invel desenvolveu uma camiseta para atenuar as sensações dolorosas. E ela foi colocada à prova por cientistas do Hospital das Clínicas de São Paulo. Após avaliar voluntários com lombalgia que usaram a peça durante duas semanas, eles notaram uma redução de 45% no desconforto. Um teste similar foi feito com luvas criadas pela mesma companhia. E os resultados também foram positivos. “Esses produtos emitem um calor superficial que incita receptores na pele a enviar sinais de inibição do incômodo aos neurônios”, explica Manoel Jacobsen, coordenador das pesquisas. Isso com a vantagem de não possuir efeitos adversos.

Fonte Revista Saúde é Vital – Abril

por Theo Ruprecht • design Amélia Paes • fotos Gustavo Arrais

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Slider by webdesign